Sumaré amplia rigor para detectar dengue

Sumaré confirmou, no começo desta semana , o primeiro caso de dengue neste ano de 2009 e uma reunião, no início do ano, entre integrantes da Vigilância em Saúde Coletiva de Sumaré, da Divisão Regional de Saúde (DRS) e da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen), definiu maior rigor na notificação de suspeitos. Agora, segundo a diretora da Vigilância em Saúde Coletiva sumareense Marialice Wonhnrath, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) devem notificar como suspeita de dengue qualquer febre prolongada sem que haja foco infeccioso. Antes, as notificações ocorriam se houvesse febre aliada com outros sintomas, como dor de cabeça, dores pelo corpo e manchas avermelhadas na pele.

Com a ação mais rigorosa, as suspeitas subiram de 15 para 45 em uma semana. O primeiro caso confirmado da doença tem como vítima um morador do Jardim São Judas (Área Cura), com idade acima dos 50 anos. Segundo Marialice, o excesso de rigor na suspeição  segue até 31 de janeiro, quando será feita nova avaliação da situação.

Enquanto isso, a Prefeitura continua fazendo sua parte no combate ao mosquito transmissor da dengue para evitar nova epidemia da doença. Em reunião, no sábado (17), ficou definido que os agentes comunitários de saúde intensificarão a divulgação e a prática do Projeto Cidade Limpa, Cidade Saudável, que prevê limpeza de quintais e terrenos baldios, cabendo ao munícipe contratação de caçambas. Caso deixe entulhos em calçadas ou terrenos, o infrator será notificado e estará sujeito à multa que chega aos R$ 900,00. A mega-reunião de secretários municipais teve por objetivo integrar medidas para evitar uma nova epidemia da doença..

No município, já circularam três dos quatros vírus da dengue e outra epidemia pode acentuar a forma hemorrágica da doença e trazer conseqüências desastrosas, como as verificadas no Rio de Janeiro, no ano passado, quando aconteceram mais de 100 mortes, sendo a maioria das vítimas crianças e idosos, que têm organismos menos resistentes.
A reunião também definiu ampla participação de crianças, com ações de chamados agentes mirins nas escolas, e de idosos, com a utilização de suas vastas experiências, no combate à dengue.

Multiplicando informações e alertando para que todos façam do combate ao mosquito Aedes aegypti uma obsessão para que o inseto não invada casas e quintais sumareenses, a Prefeitura atuará em diversas frentes, não somente com a Secretaria de Saúde, para evitar que a doença volte a se alastrar no município. Campanha educativa nas escolas, com a utilização de gibis e vídeos também será desenvolvida nesta época de chuvas, período mais propicio para a reprodução do mosquito, que ocorre em recipientes que acumulam água limpa, sejam eles uma simples tampinha de garrafa ou uma piscina desativada. Por isso, segundo as equipes de saúde, é preciso checar diariamente os quintais e eliminar os criadouros e isso será reforçado pelos agentes de saúde com argumentos e panfletos do Projeto Cidade Limpa, Cidade Saudável.

Reunião
A reunião de sábado (17 de janeiro) realizada a partir de 9 horas, no Gabinete da Prefeitura, no Centro Administrativo (CA) de Nova Veneza, por determinação do prefeito José Antonio Bacchim(PT), foi coordenada pelo secretário de Saúde Roberto Marden Soares Farias e teve a participação das Secretarias Municipais de Inclusão, Assistência e Desenvolvimento Social; de Obras e Serviços; de Defesa, Proteção e Preservação do Meio Ambiente; de Comunicação Social ; de Educação ; de Finanças e Orçamento e de Administração e Recursos Humanos, além de representante do Departamento de Águas e Esgotos (DAE).

Segundo o secretário Marden, além das decisões das ações, outros importantes objetivos foram conseguidos na reunião, tais como: mobilizar os secretários em suas áreas de atuação e desburocratizar a liberação de recursos, permitindo horas-extras das equipes e cedendo funcionários para ajudarem nos arrastões. Na área da Educação, o combate à dengue pode ser incluído no currículo escolar; a Secretaria de Obras utilizará o Projeto Cidade Limpa, Cidade Saudável para engajar as associações de bairros na luta contra doença; a Promoção Social pedirá apoio dos idosos para combaterem a dengue na comunidade onde moram e a Secretaria de Cultura envolverá atores amadores na criação de peças teatrais educativas.

Além disso, será pedido o apoio da Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Sumaré para sensibilizar donos de imobiliárias a permitirem o acesso dos agentes em imóveis destinados a locação e que ficam fechados. Intensificando as ações em fins de semanas, Sumaré conseguiu reduzir de 40% para 20% o número das chamadas pendências, que são as casas onde não estão os proprietários ou responsáveis durante a visita dos agentes de saúde e por isso mesmo eles precisam voltar outro dia para fazerem a verificação e eliminarem criadouros do mosquito.

Dengue em Sumaré- Números de 2006, 2007 e 2008

2008- 1.289 notificações- Sendo 87 positivos, sendo 81 autóctones (contraídos no município), 5 importados (contraídos em outras cidades) e 1 sob investigação, já que a pessoa viajou para o Tocantins e pode ter contraído a doença lá.

2007- 6.418 notificações- Sendo 3.909 positivos, sendo 3.898 autóctones (contraídos no município) e 11 importados (contraídos em outras cidades)

2006- 1.061 notificações- Sendo 386 positivos, sendo 375 autóctones (contraídos no município) e 11 importados (contraídos em outras cidades)

Deixe uma resposta