Parceria entre Unimed e Nova Odessa possibilita intercâmbio entre jogadoras de basquete

A escolhinha de basquete feminino da CEL (Coordenadoria de Esportes e Lazer) da Prefeitura de Nova Odessa mantém, desde o mês de março de 2007, parceria com a Unimed. A cooperativa mantinha um projeto atendendo a meninas a partir de 7 anos desde 1998. A partir de março de 2007, o projeto foi estendido às cidades de Nova Odessa e Santa Bárbara d’Oeste.

A boa notícia é que a parceria vai muito bem, obrigado. Tanto que a equipe de Nova Odessa vai ter uma jogadora competindo pela equipe de Americana no Campeonato Paulista. A jogadora Ana Paula Lopes, de 13 anos, já está na fase de transição entre os núcleos.

“Hoje, o projeto desenvolvido nas três cidades já colhe frutos e alcança os objetivos que a Unimed, que é o intercâmbio de atletas, já que apenas o time de Americana disputa o Campeonato Paulista, promovido pela Federação Paulista de Basquete”, contou o técnico de basquete feminino da CEL, Rafael Padovani.

Para ele, “o projeto só veio a acrescentar às escolhinhas já existentes”, ou seja, as categorias de base da CEL. “Só com o técnico Rafael Padovani (atual técnico das equipes femininas de basquete da CEL/Unimed em Nova Odessa), este trabalho existe desde 1992”, contou o coordenador de Esportes e Lazer, Eduardo Mota.

“A chegada do projeto da Unimed a Nova Odessa, através desta parceria, foi, sem dúvida nenhuma, uma enorme motivação para as meninas. Com esta marca forte, as atletas passam a ter melhores perspectivas para o futuro dentro do basquete”, comentou Padovani.

“O intuito da Unimed é que essas meninas não deixem de praticar o esporte e não abandonem o projeto por não terem condições de jogar em níveis superiores. Enquanto Americana disputa a Federação, Nova Odessa e Santa Bárbara disputam o ARB (Associação Regional de Basquete). Por isso, meninas que se destacam no regional são convidadas a integrar a equipe de Americana, que disputa a Federação”, explicou Padovani.

Escolha
A técnica da equipe de Americana, Anne Sabatini, justificou a escolha de Ana Paula – mais conhecida como “Jamaica”. “Tive a oportunidade de vê-la jogar e percebi o quanto é esforçada. Outro grande fator foi que, em conversas com o técnico Rafael, ele me contou o quanto a Ana Paula é dedicada. Ele sempre ressalta a vontade dela de seguir carreira. É uma alegria podermos dar essa oportunidade a ela”, contou Anne.

Ana Paula deve disputar a Federação a partir do ano que vem, pela categoria mirim. Enquanto isso, a jogadora mantém os treinamentos com o técnico Rafael Padovani. “Esta transição serve para que ela se adapte a novas amizades e, no ano que vem, passe a treinar definitivamente em Americana”, explicou a técnica.

Anne ressaltou ainda que este intercâmbio acontece constantemente entre jogadoras das três cidades. “As jogadoras mais novas costumam vir para a equipe de Americana, do mesmo jeito que jogadoras de Americana também vão para as outras duas equipes para que disputem a ARB”, disse.

Para ela, a regionalização do projeto só trouxe benefícios para a equipe principal, existente desde 1998. “Era muito triste quando tínhamos que deixar algumas meninas de fora. Que bom que agora temos estas outras duas cidades, para que possa acontecer esse intercâmbio”, comemorou Anne.

Sucesso
Prova do sucesso do projeto é que, neste ano, as três equipes de basquete da Unimed foram campeãs nos 52º Jogos Regionais de Rio Claro em suas categorias. Nova Odessa foi campeã da segunda divisão no sub-21 e se classificou para os Jogos Abertos.

A jogadora de Nova Odessa não esconde a empolgação. “Acredito que conquistei essa vaga pelo desenvolvimento que tive com o técnico Rafael. Estou sendo muito bem recebida pela equipe de Americana. Agora quero, cada vez mais, continuar com a carreira no basquete”, avisou a garota, que tem 13 anos e treina pela escolhinha da CEL há mais de três anos.

Todas as meninas das escolhinhas recebem uniforme de treino e as que compõem as equipes recebem além dos uniformes de treino, uniforme de passeio e plano de saúde da Unimed.

“Desenvolvemos novos programas e ações de forma a estar cada vez mais no cotidiano dos esportistas de Nova Odessa. Desde que assumimos a pasta, temos nos aproximado de Ligas e Federações, para oferecermos o melhor possível para nossos jovens. Não só aumentamos as modalidades oferecidas, como também procuramos fazer a coisa mais profissionalmente possível. Isto é a CEL, preparamos atletas, descobrimos campeões e formamos cidadãos”, finalizou o orgulhoso Eduardo Mota.

Deixe uma resposta