Prefeitura de Limeira promove o 1º Torneio Local

Os atletas com deficiências físicas e intelectuais da Aril (Associação de Reabilitação Infantil Limeirense), do Clube Inclusivo Paradesportivo de Limeira e da Secretaria Municipal de Esporte Lazer, participaram na manhã desta sexta-feira, 9 de maio, do 1º Torneio Local de Natação, no Centro Aquático Municipal do Jardim Piratininga. O evento foi promovido pela Prefeitura de Limeira, que visa investir cada vez mais no esporte educacional do município, por meio de parcerias com as entidades e a Special Olympics Brasil.

A competição contou com 37 atletas da Aril, 7 do Inclusivo e um representante da Prefeitura. As provas foram adaptadas para as necessidades especiais dos jovens, que foram acompanhados por professores especializados. Os vencedores de cada modalidade integram os Jogos Estaduais da Special Olympics, previsto para o mês de agosto, na PUC-Campinas.

Para Nair de Oliveira, mãe de um dos atletas da Aril, a melhora no desenvolvimento do filho é muito perceptível. “Eu procuro acompanhá-lo em todos os eventos, ele gosta de competir e é um ótimo nadador”, afirma. Todos os alunos recebem treino intensivo das entidades e uma grande parte deles apresenta um alto nível técnico. Segundo o secretário de Esporte e Lazer, José Luiz Rodrigues, as competições adaptadas funcionam para priorizar as minorias. “Os alunos da Aril são constantemente lembrados pela sociedade por sua deficiência. A nossa proposta é mostrar a eficiência”, salienta.

De acordo com a diretora da Pasta, Palloma Lima Leite, a aposta do governo municipal é valorizar o esporte educacional e de rendimento, a fim de motivar os jovens a saírem da ociosidade e do comodismo. “Um dos nossos maiores objetivos é mostrar para o adolescente que em vez de ficar em casa ou preso à tecnologia, ele pode praticar um esporte ou uma atividade física”, comenta. Apenas no mês de maio, pelo menos outros dois eventos esportivos estão agendados, o Festival de Futebol na Comunidade e o Dia do Desafio.

A Aril atende a pessoas com deficiências intelectuais e físicas. A inclusão do esporte na rotina dos jovens busca retirá-los das ruas e afastá-los de problemas comuns nesta faixa etária. “Muitas vezes, perdemos os adolescentes para o tráfico e para o crime, porque são maneiras fáceis de ganhar a vida. Entretanto, eles não têm a percepção de que isso é algo do momento e não vai dar futuro algum”, diz o coordenador da Aril e também coordenador estadual da natação do Special Olympics Brasil, Rodrigo Campos Rodrigues.

Deixe uma resposta