Exposição “Estação da Língua” em Araraquara se encerra no sábado (02)

No último dia da exposição, sábado (02), a exposição permanece aberta para visitação das 10 às 13 horas, tendo Contação de Histórias às 10h30

Ainda dá tempo de apreciar a exposição itinerante do Museu da Língua Portuguesa “Estação da Língua”, que continua em Araraquara até o sábado desta semana, dia 02 de abril – seguindo na sequência para Pirassununga. Com 300 metros quadrados de área expositiva no Palacete das Rosas Paulo A.C. Silva, a exposição conta com a interatividade e a tecnologia para apresentar o nosso idioma.

A mostra é parte das atividades desenvolvidas pelo Museu, paralelamente à sua reconstrução, e fazendo jus à proposta que lhe deu origem: seu acervo é a língua viva, falada por todos os povos de lusófonos, nos seus mais variados sotaques e evoluções. A exposição, entre 2013 e 2014, passou por sete cidades, tendo retomado sua viagem este ano, com início em Araraquara no último dia 04 de março.

Com uma missão bem-sucedida de aproximar o conteúdo do Museu da Língua Portuguesa das pessoas em todos os cantos, a viagem é sempre recebida com entusiasmo pelo público em suas paradas. Em Araraquara, de acordo com a organização da mostra, até o dia 24 de março haviam sido registradas 4500 visitas, entre público espontâneo e visitas agendadas. Também, foram atendidas por meio de agendamento, 61 salas de escolas das cidades de Araraquara, São Carlos, Itirapina, Matão, Boa Esperança do Sul, Santa Lúcia e Américo Brasiliense.

A exposição – A estrutura de recepção e de acolhimento baseia-se em um conjunto com forte apelo visual, que abriga projeção de breves textos literários especialmente escolhidos para a itinerância. Em um ambiente imersivo, três frases promovem o início dessa viagem pela história da língua portuguesa: “Quem não vê bem uma palavra, não pode ver bem uma alma”, de Fernando Pessoa; “Penetra surdamente no reino das palavras”, Carlos Drummond de Andrade; e “Como é que chama o nome disso”, de Arnaldo Antunes, foram interpretadas pelos atores Paulo Betting, Julia Lemmertz e Deborah Evelyn. Painéis de LED vermelho reproduzem o que está sendo ouvido.

Uma grande escultura de caixas apresenta o Museu da Língua Portuguesa e o público segue para o “desembarque”, formado por um painel gráfico com as origens da língua e um vídeo/animação, apresenta as conquistas e a expansão ultramarina de Portugal até o ano de 1500 – quando ocorre o descobrimento do Brasil. Esta seção inclui um terminal multimídia que permite ao visitante escutar os vários sotaques do português pelo mundo.

A terceira área expositiva parte da Linha do Tempo, consagrada no Museu da Língua Portuguesa com a evolução do idioma no Brasil até a atualidade. O visitante segue para terminais com telas sensíveis ao toque que apresentam a relação do português com outros idiomas, como as línguas indígenas e africanas, e também as influências dos imigrantes europeus em solo brasileiro.

O passeio se aproxima do fim num painel em forma de quebra-cabeça que apresenta um vídeo baseado em dez entrevistas especiais. O vídeo permite confrontar e mesmo sugerir um diálogo entre cinco cidades paulistas, ressaltando as particularidades linguísticas de cada região. A parada final destaca em projeções a presença diversificada da língua portuguesa no dia a dia do brasileiro, até mesmo em sonhos, com a apresentação de dois vídeos – Culinária e Danças.

 

Último dia – Neste sábado, 02 de abril, a exposição estará aberta aos interessados no período das 10 às 13 horas. Além da exposição, no sábado o público poderá conferir também uma Contação de Histórias com a atriz Tânia Capel, com a temática dos “contos de brincar”. O trabalho traz contos populares, da oralidade do interior paulista, abordando o universo caipira, com sua cultura e seu modo de falar.

Os encontros irão apresentar narrativas da cultura caipira paulista em 40 minutos. A Contação de Histórias é destinada a interessados a partir de 8 anos. São 25 lugares e as senhas serão distribuídas com 15 minutos de antecedência.

A realização da exposição “Estação da Língua” é do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura; do IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, organização social de cultura que gere o Museu da Língua Portuguesa; e da Arquiprom, proponente e produtora do projeto viabilizado por meio do Ministério da Cultura via Lei de Incentivo Fiscal do Programa da Ação Cultural (Proac) da Secretaria Estadual de Cultura e com patrocínio da Panco e apoio da Tim. A Estação da Língua conta também com o apoio local da Prefeitura do Município de Araraquara, por meio da Secretaria Municipal da Cultura e Fundart.

A programação é uma boa oportunidade para toda família, gratuitamente, observar a importância da língua e do Museu, e se certificar que a Língua Portuguesa é algo vivo e em evolução. O Palacete das Rosas está localizado à Rua São Bento, 794, no Centro de Araraquara.

Serviço:

Exposição “Estação da Língua”

Data: até 02 de abril

Horário: até sexta-feira (01/04), das 9h às 18h; no sábado (02/04), das 10h às 13h

 

02/04 – 10h30 – Contação de Histórias (encontro com narrativas da cultura caipira paulista): “Contos de Brincar”

25 lugares

 Programação gratuita

Deixe uma resposta